Javascript is not enabled

Livro n.º 2

Available actions

Reader available actions

 

Livro n.º 2

Description details

Description level

Composed document   Composed document

Reference code

PT/APLSS/PL/01-02/04/00002

Title type

Formal

Date range

1909-03-31  to  1910-06-27 

Scope and content

Ata n.º 88, de 1909-03-31 :

a) Adjudicada à Parceria dos Vapores Lisbonenses a construção de de 2 telheiros armazens no terrapleno de Santos

b) Pedidos custos para a ampliação do telheiro da Empresa Insulana de Navegação e construção de um alpendre à Parceria dos Vapores Lisbonenses e à Teillard et Touzet

c) Aprovado não ser enviado qualquer perito a Inglaterra para fiscalizar a construção do rebocador mas que fosse dedicada especial atenção à elaboração do contrato

d) Adiada a análise dos novos armazéns a construir

e) Decidido contactar agentes de navegação para solucionar o problema de a Companhia de Caminhos de Ferro Madrid-Cáceres pretender adjudicar a uma única entidade o transporte de carvão vindo de Inglaterra para Espanha f) Aprovado ser por conta da Parceria a construção de novas jangadas para o serviço das docas de reparação que, no término do arrendamento, ficarão para o Conselho por valor da avaliação então feita g) Decidido manter a resposta já dada às Companhias Reunidas de Gás e Eletricidade de não caber ao Conselho o calcetamento na Junqueira entre a passagem de nível e a fábrica de eletricidade mas que iria instar com as entidades responsáveis h) Indeferido o pedido dos donos de pedreiras para uma redução de taxas

i) Autorizada a assinatura do jornal inglês "Syren" e inserção de publicidade

j) Marcada sessão extraordinária para o assunto das dragagens

Ata n.º 89, de 1909-04-02 :

a)b) Analisada forma de solucionar o roubo de mercadorias a bordo das fragatas c) Discutido o assunto do contrato das dragagens e todas as despesas inerentes e o historial desde a anterior gestão da Hersent sendo ainda adiado o assunto

Ata n.º 90, de 1909-04-05 :

a) Imposta pena de suspensão a dois empregados do porto por roubo de tabaco b) Louvados e gratificados o mestre e tripulação do rebocador "Josephine" pela forma como socorreram um vapor dinamarquês que se incendiou com uma carga de enxofre

c) Aprovada a aplicação da taxa superiormente aprovada no caso dos barcos da Alfândega e Capitania que acudiram ao incêndio e que nada recebem pelos serviços prestados

d) Continuação da análise minuciosa ao contrato de dragagens estabelecido com a Parceria dos Vapores Lisbonenses e o que se passava com a Hersent e transcrição, na íntegra, de nota apresentada (Conselheiro Augusto José da Silva)

Ata n.º 91, de 1909-04-14 :

a) Proposta a rescisão do contrato das dragagens com a Parceria dos Vapores Lisbonenses (Chefe do Departamento Marítimo)

b) Aprovada uma análise aprofundada sobre a construção de novos armazens c) Aprovado ser a Pinto Basto & Cª a consignatária dos navios com carvão em trânsito para Espanha

d) Apresentado o pedido de Alejo Hernandes Garcia de modificação à condição da quantidade mínima de minério a exportar de Badajoz

e) Proposto que seja avaliado de estarem as diversas instituições - Alfândega, Capitania e Exploração do Porto - envolvidas nas licenças a conceder aos navios para atracação nos cais da Exploração f) Adiada a análise relativa à ampliação das oficinas e ao contrato das dragagens

Ata n.º 92, de 1909-04-21 :

a) Aprovado o embarque de minério depositado no terrapleno do cais de Alcântara após pagamento por Alejo Hernandes Garcia

b) Aprovada a adjudicação de fornecimento de material elétrico para ampliação e alteração das oficinas à Sociedade Thomson Houston Ibérica

c) Continuação da análise ao contrato das dragagens sendo rejeitada a proposta de rescisão do contrato de dragagens com a Parceria dos Vapores Lisbonenses

Ata n.º 93, de 1909-04-28 :

a) Aprovado o adiamento da análise da proposta de ampliação das oficinas b) Deliberado comunicar ao Governo ter sido rejeitada a proposta de rescisão do contrato das dragagens c) Medidas de segurança no porto devidas ao tremor de terra de dia 23

d) Adiada proposta de melhoria do policiamento da área portuária

Ata n.º 94, de 1909-05-05 :

a) Votada a 2.ª verba para execução dos trabalhos de ampliação das oficinas b) Adiada discussão sobre proposta de aumento do número de polícias

c) Informação de ter começado a receção do minério de ferro vindo de Badajoz

Ata n.º 95, de 1909-05-12 :

a) Adjudicada à Companhia Thomson Houston Iberica a instalação da iluminação elétrica no entreposto de Santa Apolónia

b) Garantida ao Club Naval Madeirense a garantia de não demolição pelo prazo de um ano de um barracão que pretende vender na doca de Alcântara

c) Comunicação da Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses de ter a mesma tarifa para o transporte de carvão para Espanha, seja de Alcântara ou de Santa Apolónia

Ata n.º 96, de 1909-05-19 :

a) Cumprimentos do Conselho ao Ministro das Obras Públicas b) Decidido praticar-se a taxa reduzida na exportação de minério procedente de Badajoz e comunicar essa decisão ao Governo c) Necessidade de averiguar detalhadamente pedido de construção de barraca no terrapleno de Alcântara para venda de géneros e bebidas

d) Autorizada abertura de concurso para construção do armazém no entreposto dos produtos coloniais e) Decidido solicitar autorização ao Governo para a construção de mais um armazém no entreposto de Santos f) Aprovada a ampliação do armazém junto do cais de Alcântara

g) Aprovada construção de um telheiro no recinto da Rocha do Conde de Óbidos

h) Decidido adiar a questão da construção de armazéns no Campo das Cebolas para quando for tratada a transformação da doca de Alcântara

Ata n.º 97, de 1909-06-02 :

a) Agradecimento do Comando do Corpo de Bombeiros Municipais pelo apoio dado pelo vapor Cysne b) Analisada a questão de o policiamento do porto ser ou não privado

c) Aprovada a renovação por um ano do contrato com a Parceria dos Vapores Lisbonenses para transporte dos passageiros dos vapores provenientes da América do Sul para o Posto de Desinfeção

d) Indeferido o pedido para construção de uma barraca para venda de vinhos e outros géneros em Alcântara e) Reembolso de quantias pagas a mais à Companhia dos Telefones

f) Renovação do pedido feito ao Governo para que seja dada atenção às deficiências do serviço de pilotagem

Ata n.º 98, de 1909-06-09 :

a) O vogal Augusto José da Silva analisa o acordo com a Parceria dos Vapores Lisbonenses para o transporte de passageiros para o posto de desinfeção b) O mesmo vogal analisa igualmente o que ficou decidido quanto à gratificação a atribuir aos polícias em serviço no porto c) Em resposta ao pedido formulado pela Booth Line"o Conselho decide autorizar o desembarque de passageiros vindos do norte, sejam ou não dessa empresa, no Cais do Posto Marítimo de Desinfeção em vapôr da respetiva agência, enquanto não forem melhoradas as condições do Cais das Colunas d) Informação de o governo ter um plano para o melhoramento da pilotagem no porto

Ata n.º 99, de 1909-06-16 :

a) Reiterada a informação de estar preparado um aperfeiçoamento do serviço de pilotagem b) Reunião do Presidente do CA com representantes da Companhia Real dos Caminhos de Ferro e da Câmara Municipal de Lisboa para troca de ideias sobre o melhoramento da estação do Cais do Sodré e via férrea de Cascais e da situação do mercado do peixe c) Concluído na mesma reunião ser necessária a vedação da faixa destinada à via férrea de Santa Apolónia à Alfândega ficando 50% do custo a cargo da Administração

d) Voto de louvor a Eduardo J. da Costa Oliveira por deixar o lugar de Chefe do Departamento Marítimo do Centro por seguir em tirocínio para África

e) Relembrada a necessidade de se destinar a doca de Santo Amaro a embarcações com carga perigosa f) Notada a necessidade de utilização de parte do cais do entreposto de Santos por embarcações de pesca e outras devido à falta de espaço no cais público

(e))g) O mesmo vogal (Eduardo J. da Costa Oliveira) informa que oportunamente tratará da questão do estacionamento na doca de Santo Amaro de embarcações com carga perigosa

(f) h) Aprovada realização de estudo para utilização de parte do cais do Entreposto de Santos para navegação costeira e de pesca

g) Aprovada a atribuição de suplemento remuneratório aos guardas a contratar para serviço no porto h) Adjudicada à Parceria dos Vapores Lisbonenses a obra de levantamento do telheiro marginal central A do entreposto dos produtos coloniais no Terreiro do Trigo i) Informação de a Parceria dos Vapores Lisbonenes ter concordado em atribuir à Administração 8% da receita cobrada pelo transporte de passageiros dos paquetes sujeitos a regime sanitário especial j) Aprovado o desassoreamento dos cais de Santos e e da doca de Alcântara como solicitado pela Câmara a quem foi pedido que suprimisse o embarque de lixos entre Santa Apolónia e Alcântara

k) Informação sobre o internamento no Lazareto de passageiros vindos do Brasil no vapor "Lanfranc" l) Verificada a necessidade de aquisição de 10 guindastes

m) Aprovada a avaliação dos custos de reparações necessárias no telhado dos armazens 9-A, pertencentes à Alfândega e arrendados à Administração

Ata n.º 100, de 1909-06-23 :

a) Aprovado envio de ofício à Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses relativo à entrega dos terrenos destinados à Estação do Cais do Sodré e à linha férrea de Alcântara

b) Aprovado ofício dirigido à Câmara Municipal sobre as dragagens a efetuar para facilitar os embarcadouros de lixo nas docas de Alcântara e Santos e analisada a falta de cuidado no seu manuseamento o que provoca a queda de detritos para o rio c) Aprovado o pagamento de fiança de 4 trabalhadores presos por atropelaram com uma vagoneta uma criança que estava fora do alcance de visão, que andaria , decepando-lhe as mãos

d) Decidido examinar mais detalhadamente o pedido feito pela Pinto Basto & Ca. para que fosse construído um abrigo em Santa Apolónia que protegesse as aduelas (madeira) desembarcadas

e) Aprovado propôr-se à Administração Geral das Alfândegas serem feitas as obras necessárias nos telhados dos armazens do Jardim do Tabaco por conta da Administração em troca de abatimento nas rendas

Ata n.º 101, de 1909-07-07 :

a) Enviado ofício à Alfandega sobre as obras no Jardim do Tabaco como aprovado na sessão anterior

b) Informado o Governo sobre a entrega dos terrenos à Companhia Real dos Caminhos de Ferro destinados à estação do Cais do Sodré e às vias férreas até Alcântara

c) Acordo com a Câmara Municipal e o Governo relativo à cobrança de taxas camarárias na área da 2.ª secção d) Tomada de conhecimento de tentativa de atenuar problemas havidos no critério de seleção dos trabalhadores do Posto de Desinfeção devido a ordens recebidas da Direção da Alfândega

e) Aprovada a cobrança da taxa mínima no serviço que a cábrea flutuante iria fazer ao Barreiro a cargo da Direção dos Caminhos de Ferro do Sul e Sueste

f) Indeferido pedido do Conde de Azambujinha para contrução de um barracão em terreno perto da doca de Alcântara g) Aprovada a aquisição de máquina de escrever

h) Aberto concurso para novo armazém no Entreposto de Santos e constatado o adiantamento do levantamento do armazém dos produtos coloniais

Ata n.º 102, de 1909-07-11 :

a) Analisado detalhadamente o assunto dos trabalhadores do Posto de Desinfeção cuja nova forma de recrutamento estava a originar perturbações

b) Proposto que os exportadores de minério de ferro sejam recordados que a mercadoria depositada no cais de Alcântara excedeu o tempo legal

c) Aprovado ofício dirigido à Direção Geral dos Correios expondo as condições em que o Conselho se pode encarregar do transporte das malas de correio vindas da América do Sul

d) Exposta a conveniência de o pessoal do correio ir a bordo do paquetes logo que estejam desembaraçdos da saúde e antes da Alfândega

e) Ofício dirigido ao Governo relativo ao aperfeiçoamento do serviço semafórico para notificação de ocorrências marítimas f) Decidido instar a Câmara Municipal a resolver o problema de um terreno, "fossa mãe", em Alcântara, considerado um foco de infeção

g) Acordado que seja permitida a visita dos representantes do Porto a bordo dos paquetes antes da visita da Alfândega h) Proposto um aumento de vencimento ao pessoal devido ao aumento de receitas e, consequentemente de trabalho, com o mesmo número de trabalhadores

Ata n.º 103, de 1909-07-21 :

a) Adjudicada, após concurso, a construção de um telheiro-armazém no Entreposto de Santos à firma Cardoso, D'Argent e Ca. b) Aprovado o ofício dirigido ao Governo com a proposta de regularização dos serviços de tráfego no Posto de Desinfeção c) Confirmada a aprovação de aumento de salário para os trabalhadores da Exploração conforme relação apresentada d) Concedida prorrogação de prazo à H. Parry & Son para construção das três barcaças de aguada

e) Melhoradas as condições dos terraplenos de Santa Apolónia, Santos e Alcântara por estar bastante adiantada a vedação custeada pela Exploração e pela Companhia Real dos Caminhos de Ferro f) Comunicado estar quase concluída a minuta do contrato a firmar com a empresa J.P. Rennoldson & Sons para fornecimento de um rebocador

g) Concluído o auto de entrega à Companhia dos Caminhos de Ferro dos terrenos destinados à linha de Cascais

Ata n.º 104, de 1909-07-28 :

a) Aprovado ofício enviado à Câmara a solicitar a remoção das várias instalações municipais nos terrenos entregues à Companhia Real dos Caminhos de Ferro para a linha férrea entre o Cais do Sodré e Alcântara b) Solicitado igualmente o fim do depósito dos lixos em Alcântara

c) Aprovado oficiar-se novamente a Direção Geral dos Correios e Telégrafos por, embora tenha comunicado ter sido aceite a proposta da Administração sobre o transporte das malas do correio vindas dos vapores da América do Sul, não tenha em conta a tabela de preços decrescentes à medida do aumento do volume de malas d) Decidido adiar a resposta solicitada pela Direção Geral de Correios e Telégrafos ao pedido de transporte das malas ou caixas postais de bordo dos paquetes alemães e ingleses para terra

e) Decidido que as dragagens solicitadas pela Nova Companhia de Moagens para a doca de Alcântara seriam efetuadas a seu cargo já que aquela zona será alvo de grandes intervenções

f) Aprovado o depósito a prazo de quantias depositadas no Banco Comercial de Lisboa para obtenção de maiores juros g) Despedida do vogal que antes exercia o cargo de Chefe do Departamento Marítimo do Centro, Eduardo João da Costa Oliveira h) Ausência por 60 dias do Presidente

i) Aprovada a ausência durante 15 dias do Engenheiro Diretor que acompanharia o Presidente em visita aos portos de Marselha e Génova

j) Agradecimento do Governo pela disponibilidade do Conselho do vapor "Cysne" para o desembarque e reembarque de Saenz Peña do paquete "Cap Vilano", em trânsito vindo do Tribunal de Haia

Ata n.º 105, de 1909-08-11 :

a) Louvor a Eduardo João da Costa Oliveira, Capitão de Mar e Guerra e a Amaro de Azevedo Gomes, também Capitão de Mar e Guerra, que o substituiu

b) Relato da vista do Eng.º Diretor ao porto de Gibraltar, porto militar e não comercial

c) Aprovado ofício a dirigir à Direção Geral da Tesouraria inteirando-a do saldo das receitas líquidas da Exploração que não foi aplicado em melhoramentos no porto no ano 1908-1909 a fim de dar entrada no Banco de Portugal d) Decidido responder à Direção Geral dos Correios e Telégrafos que o Conselho mantem a proposta de tabela relativa ao transporte das malas do correio abrindo exceção no corrente ano económico

e) Desenvolvimento de um projeto de melhoria do serviço de pilotagem atendendo à falta de resposta do Governo f) Aprovadas as contas de junho e do ano económico findo

Ata n.º 106, de 1909-08-25 :

a) Votos do Conselheiro Silva ao Capitão de Mar e Guerra Amaro de Azevedo Gomes b) Aprovação do envio ao Governo de nota detalhada das verbas do orçamento para ratificação parlamentar c) Decidido oficiar-se o Governo para inclusão na receita e despesa para o ano de 1909-1910 de créditos especiais d) Decidido analisar-se a questão da supressão de taxas municipais às embarcações de serviço fluvial da Administração e) Analisada a situação de uma edificação do serviço aduaneiro nos terrenos entregues à Companhia Real do Caminhos de Ferro e oficiada sobre o assunto a Direção Geral de Obras Públicas e Minas f) Aprovada comunicação a enviar ao Ministro da Fazenda sobre a Resolução do Conselho relativa à reorganização dos serviços de tráfego aduaneiro do Portos Marítimo de Desinfeção

g) Decidido aumento do número de cabos de mar destacados para policiamento do porto

h) Autorizada a assinatura anual da Revista das Alfândegas

Ata n.º 107, de 1909-09-01 :

a) Decidido analisar, para resposta a um protesto da Câmara Municipal ao Governo, a construção da estação no Cais do Sodré em terreno que seria destinado a passeio público

b) Concedida autorização à firma J. Lino para sublocação de uma construção na Rocha Conde de Óbidos c) Indeferido o pedido de redução de taxa da empresa "Booth Tranship" aos passageiros desembarcados no Cais do Postos Marítimo de Desinfeção

d) Deferido o pedido, da Direção da Alfândega de Lisboa, de nota de existências de café e cacau nos armazéns do porto e) Aprovação pelo Governo da proposta da Administração para o transporte das malas postais provenientes dos paquetes vindos da América do Sul

f) Decidido oficiar-se a Administração Geral das Alfândegas para ser autorizada a entrada a bordo dos paquetes vindos da América do Sul dos agentes postais antes da visita dos funcionários aduaneiros g) Decidido insistir com o Governo sobre a forma como são feitas as visitas da saúde aos paquetes postais h) Deliberado promover a supressão das taxas camarárias cobradas às embarcações de serviço fluvial i) Aprovada a contabilidade de julho

Ata n.º 108, de 1909-09-29 :

a) Decidido chamar a atenção do Governador Civil do Distrito para o policiamento dos locais de desembarque de passageiros

b) Enviado ao Ministério detalhe do orçamento para o ano de 1909-1910 como solicitado

c) Conhecimento de estar preparado o desembarque das malas do correio provenientes da América do Sul d) Preparado o serviço do tráfego no Posto Marítimo de Desinfeção por conta da Exploração

e) Autorizado gasto do resto das verbas necessárias à conclusão da ampliação das oficinas

f) Aprovado o ofício a enviar à Câmara sobre a transferência do embarcadouro dos lixos para a doca de Santo Amaro g) Comunicada às agências de navegação as providências tomadas relativamente às malas de correio provenientes da América do Sul e as condições de facilitação que deveriam existir a bordo dos paquetes para a sua rápida transferência para o Sud Express h) Resolvido estudar-se a questão colocada pela Câmara relativa à limpeza de um cano de esgoto na segunda secção i) Aprovada a fiscalização pela Lloyds ao rebocador de alto mar

j) Aprovado o envio de ofício à Câmara com a proposta da Administração da quantia de compensação da cobrança das taxas camarárias

k) Resolvido adiar a resposta à Companhia Real (dos Caminhos de Ferro) sobre a faixa de terreno a ser-lhe entregue

Ata n.º 109, de 1909-10-06 :

a) Apresentação do projeto sobre a adaptação da doca de Alcântara ao tráfego comercial e a construção do molhe de Santos b) Aprovado pedir-se mais propostas para a construção de um armazém no recinto das docas de reparação para além da já existente da Parceria dos Vapores Lisbonenses

Ata n.º 110, de 1909-10-13 :

a) Apresentação do projeto de adaptação da doca de Alcântara ao tráfego comercial e de construção do molhe de Santos

b) Aprovação do orçamento para 1910-1911

c) Conhecimento e satisfação por parte das agências das resoluções tomadas relativamente às malas de correio vinda da América do Sul

d) Autorizada a colocação de um guindaste elétrico pelas Companhias Reunidas de Gaz e Eletricidade sobre a ponte próxima da Torre de Belém desde que fosse retirado se instado

Ata n.º 111, de 1909-10-20 :

a) Insistência perante o Governo na necessidade da existência de uma estação telegráfica nas proximidades do porto b) Aprovação pelo Governo da adaptação da doca de Alcântara ao tráfego comercial e do adiamento da construção do molhe de Santos

c) Enviadas ao Governo os projetos da duas obras

d) Enviado ao Governo o orçamento para 1910-1911

e) Incluída no orçamento verba para aquisição de um aparelho Clayton

f) Aprovada a dragagem para facilitar a atracação no cais das Colunas

g) Aprovado o reembolso de Juan Gomes Garcia de quantias devidas pelo estacionamento no cais de Alcântara de minério embarcado no vapor inglês John Marychurch

Ata n.º 112, de 1909-10-27 :

a) Comunicação de agrado das companhias Cunard, Booth e Royal Mail pelas medidas tomadas relativamente às malas de correio vindas da América do Sul

b) Aprovada a adjudicação da obra de construção de um armazém no recinto das docas de reparação à Parceria dos Vapores Lisbonenses

c) Adjudicada a construção de uma caldeira de vapor para o guindaste nº 11 à Empresa Industrial Portuguesa d) Adiada a resolução sobre o pedido de afixação de anúncios na parede dos armazém do Jardim do Tabaco pela Viúva Mello & Filhos e) Decidido solicitar ao Governo providências para serem entregues à Câmara os canos da 2ª secção que esta pede para serem desobstruídos, ficando a seu cargo a limpeza e conservação

f) Aprovado o pedido de consolidação de uma ponte na 3ª secção, no Beato, pelo proprietário Guilherme Sprakley

Ata n.º 113, de 1909-11-03 :

a) Adjudicada à Fábrica Promittente a empreitada de ampliação do armazém de Alcântara b) Indeferido o pedido da firma Viúva Mello & Filhos para afixação de anúncios nas paredes dos edifícios dos armazéns do Jardim do Tabaco

c) Decidido que o Presidente contatasse o Inspetor dos Serviços de Saúde para serem evitados casos como o sucedido com as malas de correio do navio "Araguaya", vindo da América do Sul, que só seguiram no Sud Express vinte e quatro horas depois por atraso na visita da saúde

d) Analisada a forma de entrega à Companhia Real da faixa de terreno no terrapleno da doca da Alfândega

Ata n.º 114, de 1909-11-10 :

a) Concluído que a demora como a ocorrida com o navio "Araguaya" só pode ser evitada se as visitas da saúde passarem a ser efetuadas diante do Posto de Desinfeção

b) Autorização de permanência no estrangeiro ao Eng.º Diretor

c) Pedido ao Governo que as receitas do tráfego aduaneiro no Posto Marítimo de Desinfeção passem a ser cobradas pela Exploração

d) Decidido oficiar-se a Direção Geral das Alfândegas para que proceda à reparação dos telhados dos chamados "novos" armazéns do Jardim do Tabaco

Ata n.º 115, de 1909-11-17 : a) Informação de estar quase concluída a planta da margem do rio entre Santa Apolónia e o Poço do Bispo b) Indeferido o pedido da Companhia Madrid Cáceres Portugal e da Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses para dispensa de pagamento de estacionamento de carris no entreposto de Santa Apolónia c) Conhecimento de estar a ser tratado o estabelecimento da telegrafia sem fios na costa de Portugal

d) Aprovado o prolongamento do alpendre construído no cais como solicitado pela Empresa Insulana de Navegação

Ata n.º 116, de 1909-11-24 :

a) Voto de congratulação pelo regresso do estrangeiro do Eng.º Diretor b) Analisada a necessidade de construção dos armazéns no Campo das Cebolas e o método do seu financiamento c) Aprovado responder à Vacuum Oil Company que deverá contatar a Câmara para a utilização de uma faixa marginal na 2ª secção, na doca de Santo Amaro, para fácil movimentação dos veículos que transportam os seus produtos d) Lembrada a conveniência em oficiar-se o Governo sobre a vantagem de a Vacuum Oil Company construir vedações e defesas junto da doca de Santo Amaro

Ata n.º 117, de 1909-12-01 :

a) Autorizada pelo Governo a despesa para a construção das instalações do Posto Marítimo de Desinfeção e transferência, para essas instalações, da estação de saúde de Belém

b) Confirmado a Spratley não lhe ser autorizada a construção de ponte cais no Beato

c) Agradecimento e gratificação ao enfermeiro Adelino Nunes pelos socorros prestados aos tripulantes do vapor de pesca "Machado 3"

d) Aprovada a continuação da aplicação de taxa de estacionamento à firma F.H. d'Oliveira sob pena de cessação de prestação do serviço prestado pelo porto

e) Aprovado comunicar-se à Parceria dos Vapores Lisbonenses que inicie as dragagens solicitadas pela Empresa Insulana de Navegação nas proximidades do cais de Santos

f) Decidido efetuar-se o pagamento à firma J.P. Rennoldson & Sons, de South Shields da 2ª prestação devida pela construção do rebocador de alto mar

g) Decidido confirmar à Lloyd's Register of Shipping o pedido de fiscalização do cumprimento do caderno de encargos e classificação do rebocador

Ata n.º 118, de 1909-12-15 :

a) Informação de estar o Governo a tratar do assunto da modificação da doca de Alcântara b) Decidido contatar o Serviço dos Telégrafos para tentar resolver o problema de ser desconhecida a localização de paquetes que entram durante a noite ou de madrugada, provocando atrasos no serviço de transporte e desembarque das malas do correio

c) Resolvido contatar-se a Alfândega para resolução do problema de, à noite, ser difícil para os pilotos, a localização do Posto de Desinfeção que passaria a estar devidamente sinalizado

d) Aprovado apresentar ao Governo o problema da cobrança de taxas municipais na área do porto

e) Decidido que o nome do novo rebocador em construção em Inglaterra será "Cabo da Roca"

f) Autorizada gratificação ao pessoal da Companhia dos Telefones que executou um trabalho difícil e arriscado g) Validade dos bilhetes de entrada nas docas e entrepostos do porto

h) Aprovado o aumento do serviço de prestação de enfermagem

i) Decidido efetuar-se o estudo para colocação de pontões nos cais, como os de Liverpool, como sugerido pela Companhia Boothe Line

Ata n.º 119, de 1909-12-22 :

a) Aprovada a iluminação normal da fachada da sede da Administração b) Aprovada a necessidade de construção de novos armazéns para armazenamento dos produtos coloniais c) Decidido insistir junto do Governo no grande benefício que representaria o rápido estabelecimento de uma estação telegráfica na costa de Portugal

d) Estabelecido com os pilotos da barra e dado conhecimento aos agentes de navegação do sistema de sinalização a implementar para os navios entrados durante a noite

e) Analisada com preocupação a proposta de Ventura Terra, aprovada pela Câmara, de limitar a implantação da linha férrea só até Santos, para poder ser instalado um jardim público, e decidido que a Associação Comercial, que iria ser contatada, conhecesse a posição da Administração sobre o assunto f) Referido que o sistema de sinalização proposto pelos pilotos deverá ser autorizado pela Administração Geral das Alfândegas

g) Deliberado que Eduardo de Roure, encarregado de angariar passageiros para o Sud Express, tendo falecido fosse substituído por Armando de Souza

h) Aprovado em conferência realizada em Paris o aumento de carruagens no Sud Express do norte de Espanha i) Aprovadas gratificações de final de ano ao pessoal da Exploração

j) Aprovada a contabilidade de novembro

Ata n.º 120, de 1909-12-29 :

a) Decidido analisar detalhadamente o pedido da Vacuum Oil Company de reparação da estrada da 2.ª secção que utiliza para circulação dos seus veículos, propondo-se pagar metade das despesas

b) Aprovado oficiar-se ao Governo informação sobre a opinião do Conselho relativamente aos terrenos entre o Cais do Sodré e Santos que a Câmara Municipal pretende reservar para jardim público, para que seja o Governo a informar a Associação Comercial quando for chamada a pronunciar-se c) Deliberado ser o Presidente a representar o Conselho perante o Ministro das Obras Públicas

Ata n.º 121, de 1910-01-05 :

a) Conhecimento de ter a Associação Comercial que dar parecer sobre a proposta do vereador Ventura Terra sobre os terrenos entre o Cais do Sodré e Santos

b) Conhecimento de estar o Governo a par do assunto do projeto da obra da doca de Alcântara

c) Decidido informar a Koninklyke Hollandsche Lloyds estar-se a estudar a utilização de pontões para que a atracação dos seus navios seja segura; quanto à Companhia "Messageries Maritimes", que pretende manter o seu depósito de carvão embora queira liberdade de ação para atracar ou não os seus vapores, ainda nada foi respondido d) Em resposta a uma referencia na imprensa a uma diminuição das receitas da Exploração do Porto foi apresentado um mapa que mostra o contrário

Ata n.º 122, de 1910-01-12 :

a) Voto de pesar pelo falecimento do vogal do Conselho Guilherme Arnaud b) Como determinado pelo Conselho relativamente à cobrança de taxas camarárias na área do porto foi solicitada a inclusão no orçamento da verba necessária à indemnização

c) Decidido obter financiamento para a construção da doca de Alcântara através de empréstimo por não estar o Governo em condições de fazê-lo

d) Decidido aceder ao pedido de isenção de taxa mensal de acostagem à "Koninklyke Hollandsch Lloyds" e) Analisado o roubo de mercadorias nos armazens da Exploração, principalmente de borracha do entreposto de produtos coloniais

f) Feito um inquérito ao caso do paquete português "Portugal" que o piloto não atracou ou fundeou perto do cais do entreposto colonial e os passageiros alcançaram terra num vapor fretado por um dos passageiros g) Decidido abrir inquérito ao fato de nem todas as malas de correio do paquete inglês "Amazon" seguirem para o Sud Express

h) Conhecimento da vinda para limpeza do fundo, para a Doca nº 11, do vapor espanhol Alfonso XII

Ata n.º 123, de 1910-01-19 : a) Resolvido o problema das malas do correio como constatado com o paquete alemão "Konig Willhelm II" cujas malas seguiram todas pelo Sud Express

b) Informação do Governo relativa à cobrança das taxas camarárias na área portuária

c) Autorizada a utilização da estação telegráfica sem fios do Arsenal da Marinha

d) Efetuado pagamento da 3ª prestação devida à empresa J. P. Rennoldson & Sons por estar pronto o casco do novo rebocador

e) Aprovada a contabilidade de dezembro de 1909

f) Autorizada despesa com o modelo de pontões escolhido para satisfação do pedido da Booth Line

Ata n.º 124, de 1910-01-26 :

a) Decidido estudar-se a proposta dos Correios e Telégrafos para ser a Administração a encarregar-se do transporte das encomendas postais das várias companhias incluindo o de bordo para a Repartição e vice versa b) Conhecimento de proposta para o estabelecimento da estação de telegrafia em Oitavos

c) Decidida a aquisição do número de vagonetas necessário ao serviço do porto

Ata n.º 125, de 1910-02-10 :

a) Decidido, após incêndio no armazém B, de madeira, no entreposto de Santa Apolónia e recebidas as quantias devidas da Companhia de Seguros Fidelidade, que deve ser cobrada o que é devido pelas mercadorias depositadas no armazém e que, após leilão dos salvados aproveitáveis, o saldo deverá ser distribuído pelos interessados

b) Aprovado concurso limitado para rapidamente ser aumentada a área coberta no entreposto de Santa Apolónia onde se deu o incêndio

c) Comunicação da Companhia Messageries Maritimes que os seus paquetes deixam de acostar ao porto de Lisboa d) Pedido de informação a Homem de Vasconcelos devido à queixa pela demora na visita da saúde do comandante do vapor inglês Iberia

e) Decidido o contrato de mais um cabo do mar para serviço noturno à descarga de peixe e prevenção de roubos

Ata n.º 126, de 1910-02-23 :

a) Decidido estudar os problemas relacionados com o incêndio, como as taxas de tráfego e armazenagem e o leilão a efetuar

b) Aprovada a adjudicação da obra de ampliação do armazém B do entreposto de Santa Apolónia à Empresa Industrial Portuguesa

c) Aprovado não ser necessário fazer qualquer hipoteca relativa ao novo rebocador "Cabo da Roca", em construção em Inglaterra pela Rennoldson & Sons representada em Portugal pela Parry & Son

d) Decidido comunicar à Parceria dos Vapores Lisbonenses o elogio feito pela Companhia Transatlântica à reparação efetuada nas docas de reparação ao paquete "Alfonso XIII"

e) Aprovado o arrendamento à Societé Génerale Metallurgique de um terreno no terrapleno da doca de Alcântara f) Aprovada contribuição para realização de uma exposição conjunta com a Companhia Real na Argentina, em Buenos Aires, para propaganda do porto de Lisboa

g) Aprovado pagamento de indemnização a um importador de café devido ao roubo nos chamados "novos" armazéns do Jardim do Tabaco, pertencentes à Alfândega

h) Decidido oficiar novamente a Alfândega para proceder às reparações no telhado do mesmo armazém i) Aprovado responder-se ao Governo, relativamente à queixa apresentada pela Associação Comercial contra o pagamento de taxa de ocupação de pontes na 3ª Secção que a essa não foi uma proposta da Administração mas sim do Governo e lembrar que é premente estabelecer-se uma taxa geral de ocupação da margem

Ata n.º 127, de 1910-03-02 :

a) Apresentação do novo vogal António Marques de Freitas representante das empresas de navegação b) Aprovado teor do ofício a enviar ao Governo relativo ao pagamento de rendas pelo terreno ocupado por algumas pontes da 3ª secção

c) Aceites os nomes de seguradoras indicadas pela J.P.Rennoldson & Sons para a viagem do rebocador "Cabo da Roca" para Lisboa

d) Aprovada a transferência para a nova Sociedade "Minas de Hierro de Herrerueala" do ajuste feito para a carga de minério e a redução de 50% na taxa de estacionamento do minério embarcado no vapor "Gwendoline" mas indeferido o pedido de redução das taxas devidas

e) Decidido solicitar ao Governo a abertura urgente de créditos especiais

f) Assinado contrato com a Empresa Industrial Portuguesa para ampliação do armazém B do entreposto de Santa Apolónia g) Oficiada a Alfândega para proceder às obras nos armazéns Novos do Jardim do Tabaco e lembrado que esse armazéns deveriam pertencer à Administração

Ata n.º 128, de 1910-03-09 :

a) Recebidas as apólices do seguro do novo rebocador Cabo da Roca enviadas pela empresa J.P. Rennoldson & Sons b) Aprovado ofício a enviar ao Governo solicitando a abertura de concurso limitado para obra de cobertura do enclave do cais de Santa Apolónia

Ata n.º 129, de 1910-03-16 :

a) Aprovada a ida a Inglaterra de Jervis de Athouguia, engenheiro construtor naval, como representante do Conselho para assistir às experiências e entrega do novo rebocador "Cabo da Roca" pela J.P. Rennoldson & Sons

b) Incluído no orçamento do próximo ano a verba para reparações nos Novos armazéns do Jardim do Tabaco c) Autorizado o concurso para a obra de cobertura do enclave de Santa Apolónia

d) Decidido aguardar para responder à Empresa Industrial Portuguesa que alega atraso nas obras de ampliação do armazém B do entreposto de Santos devido às chuvas e) Aprovado ofício a dirigir ao Governo sobre melhoramentos a introduzir no serviço das visitas da saúde f) Apresentada uma nova companhia em projeto através de carta enviada pela firma J.A.Ferreira g) Aprovado deixar atracar um vapor da companhia Messageries Maritimes para descarga de carvão mas escrever para esclarecimento do assunto

h) Autorizadas algumas reconstruções a pedido de J. Santos Lima no Poço do Bispo

i) Indeferidos os pedidos da Wiese & Ca. para que os vapores de pesca sejam dispensados de pedido de licença quando arribam ao porto e de descarregarem peixe para um dos barracões do porto j) Aprovado ser ao Conselho que compete fazer instalações para cargas e descargas na doca de Santo Amaro devendo ser estabelecida taxa como proposto para a 2ª secção e não permitir, como pede a União Fabril, que esta faça e utilize instalações próprias

k) Aprovado estudar-se a proposta de construção de armazéns no Campo das Cebolas de Luiz Rau e outros l) Aprovado o pedido das Companhias Reunidas de Gas e Eletricidade de mais um guindaste para desembarque de carvão m) Aprovada a contabilidade do mês anterior

Ata n.º 130, de 1910-03-30 :

a) Informação da ida de António Jervis de Athouguia para Inglaterra a fim de assistir às experiências do novo rebocador Cabo da Roca e de terem sido recebidos os certificados da Lloyds relativos à sua construção b) Decidido dar um prazo para a Companhia Messageries Maritimes retirar o depósito de carvão do cais a não ser que volte a atracar os seus vapores

c) Indeferido o pedido da Pinto Basto & Ca. de dispensa de pagamento pela acostagem do vapor Funchalense d) Informação de estar terminado o armazém no entreposto de Santos

e) Recebidos com agrado os elogios de Guerard, Eng.º Inspetor Geral de Pontes e Calçadas

Ata n.º 131, de 1910-04-13 :

a) Informação de ter o Eng.º Athouguia comunicado informações técnicas acerca do no rebocador Cabo da Roca e do excelente desempenho nas experiências realizadas e informação da firma Rennoldson & Sons ao representante em Portugal, Parry & Sons, sobre as despesas com o embandeiramento b) Decidido estudar a proposta da Empresa Nacional de Navegação para vedação de uma parte do Cais da Fundição para depósito de mercadorias para embarque

c) Concedida autorização à Vacuum Oil Company para calcetar uma faixa de terreno que serve os seus armazéns d) Decidido estudar o pedido feito pelas Companhias Reunidas de Gas e Eletricidade para estabelecimento de um transportador aéreo para coke entre a sua fábrica no Bom Sucesso e a estação elétrica na Junqueira e) Informação da Companhia Messageries Maritimes de ter comunicado a informação do Conselho à Direção para decisão f) Decidido responder ao pedido feito por empresas de pesca que não haveria qualquer redução no fornecimento de água, que mediante um pedido especial poderia haver isenção dos direitos de cais para os artigos mas não pelo gelo embarcado pelos vapores de pesca

g) Indeferido pedido de descida de preço de preço de água dos guindastes do navios Audaz

h) Decidido estudar a desburocratização dos custos dos transportes de bagagens dos passageiros

i) Troca de opiniões sobre a necessidade ou não de melhorar o serviço de desembarque de passageiros no porto atualmente centrado no Posto de Desinfeção e decidido alertar o Governo para estar recetivo a uma melhoria

Ata n.º 132, de 1910-04-20 :

a) Decidido alertar o Governo para o perigo que constitui a existência de depósitos de petróleo da Vacuum Oil Company, precariamente protegidos e sujeitos a incêndio por contágio de alguma embarcação como foi o caso de uma fragata carregada de gasolina, que se incendiou na doca de Santo Amaro e foi de imediato rebocada pelo Josephina para a margem sul até se afundar

b) Aprovada a apresentação da respetiva fatura à Vacuum Oil Company, não só pelo serviço de imediato prestado pelo rebocador "Josephina" à fragata incendiada como, entre outros, o que prestou no salvamento da mercadoria de outra embarcação

c) Aprovado que seja oficiado novamente o Governo como pressão para o estabelecimento da estação de telégrafo sem fios em Oitavos

d) Aprovada a cedência de uma draga aos Serviços Fabris do Arsenal

e) Aprovado aclarar com a Empresa Industrial Portuguesa o projeto apresentado relativamente à empreitada de cobertura do enclave de Santa Apolónia e, caso não satisfaça, será contatada a Parceria dos Vapores Lisbonenses f) Conhecimento dos motivos da Messageries Maritimes para não atracarem os seus paquetes nos cais do porto e da conservação do depósito de carvão junto do cais de Alcântara

g) Deferido o pedido de vedação do local junto aos cais da Fundição feito pela Empresa Nacional de Navegação h) Sugerido ser a Exploração a encarregar-se do transporte e descarga de mercadorias vindas para a Alfândega i) Conhecimento de artigo num jornal de Newcastle acerca do novo rebocador "Cabo da Roca"

j) Aprovado envio de ofício ao Governo com o pedido das Companhias Reunidas de Gas e Eletricidade para estabelecimento de transportador aéreo desde o Bom Sucesso para a Junqueira

k) Concedida licença para construção de uma barraca em ponte da 3ª secção a Guilherme da Silva Spratley l) Combinado com a E.Pinto Basto a entrega de guias de bagagem aos paquetes que consigna, sendo o custo adicionado ao do bilhete

m) Aprovada a contabilidade do mês anterior

Ata n.º 133, de 1910-04-27 :

a) Decidido manter a faturação à Vacuum Oil Company pelo serviço prestado pelo rebocador Josephina" a altura do incêndio da fragata

b) Aprovada a dragagem na doca de Santo Amaro pedida pela Companhia do Açúcar de Moçambique c) Decidido consultar a Alfândega para resposta à firma Hahnefeld & Gellweiler acerca de uma operação com aguarraz nacional d) Aprovada resposta à Companhia Comercial de Angola acerca de mercadorias no entreposto de produtos coloniais impróprias para consumo

e) Decidido dar conhecimento ao Governo da aprovação pelo Conselho da adjudicação da obra de cobertura do enclave de Santa Apolónia à Empresa Industrial Portuguesa

Ata n.º 134, de 1910-05-11 :

a) Oficiado o Governador Civil dando conhecimento do voto de sentimento do Conselho pela morte de Moreira Feio, Inspetor da Polícia Administrativa pelo policiamento nos locais de desembarque do porto b) Conhecimento de ter a Companhia Comercial de Angola feito o pagamento devido à Exploração

c) Conhecimento da partida de Inglaterra do novo rebocador "Cabo da Roca"

d) Decidido aprofundar mais tarde o assunto das extrações das amostras de vários géneros retiradas nos armazéns dos produtos coloniais

e) Aprovado instar-se com os consignatários das mercadorias demoradas nos armazéns que as retirassem em determinado prazo e que, não o fazendo, seriam vendidas em leilão

f) Terminada a obra adjudicada à Empresa Industrial Portuguesa de ampliação do Armazém B do entreposto de Santa Apolónia

g) Conhecimento de estar o Governo ciente da necessidade da instalação da telegrafia sem fios em Oitavos h) Conhecimento de ter acorrido o rebocador "Josephina" ao vapor "Columba", arribado, e de lhe ser devido o pagamento por ter respondido ao pedido de socorro em primeiro lugar

i) Aprovada a contratação de um engenheiro para fiscalização da obra de cobertura do enclave de Santa Apolónia j) Conhecimento de ter a Direção Geral de Obras Públicas e Minas enviado o processo relativo aos depósitos da Vacuum Oil Company, assunto sobre o qual é necessária uma decisão

k) Comentado o policiamento nas docas e a deficiente limpeza do Cais das Colunas

Ata n.º 135, de 1910-05-18 :

a) Voto de pesar pela morte de Eduardo VII de Inglaterra b) Explicado o motivo da não utilização de um vapor da Exploração mas sim da Parceria dos Vapores Lisbonenses aquando da visita de um grupo do Congresso Nacional ao porto

c) Decidido fazer seguro do "Cabo da Roca", entretanto chegado de Inglaterra numa viagem bem sucedida, e do Josephina apenas para viagens fora da barra

d) Decidido encarregar um despachante do envio de 46 volumes de cabo a uma firma de Londres que os reivindicou e) Decidido manter-se a faturação relativa a uma porção de prata armazenada no porto

f) Autorizada a instalação de iluminação elétrica na ampliação do armazém B do entreposto de Santa Apolónia com a mesma empresa que fez a instalação inicial

g) Aprovada a contabilidade do mês anterior

h) Decidido aplicar à exportação de minério a taxa aplicada ao minério vindo de Espanha

Ata n.º 136, de 1910-05-25 :

a) Informação de só estar disponível no próximo mês o crédito suplementar b) Decidido insistir com a Alfândega sobre a questão da aguarrás nacional

c) Decidido autorizar o arrendamento de um terreno no terrapleno de Alcântara para depósito de gasolina, mediante condições, a Albin Rivière

d) Analisado o transporte de passageiros vindos do sul para o Posto Marítimo de Desinfeção e a manutenção, apesar de já estar em funções o Cabo da Roca, do contrato com a Parceria dos Vapores Lisbonenses e) Decidido fixar a taxa a cobrar por cada serviço de reboque das fragatas que transportam as encomendas postais

Ata n.º 137, de 1910-06-01 :

a) Informação sobre a questão das operações a executar sobre a aguarrás b) Informação relativa à visita aduaneira feita aos navios atracados e fundeados no porto

c) Informação relativa aos seguros dos rebocadores Cabo da Roca e Josephina

d) Aprovado contrato com a Parceria dos Vapores Lisbonenses para transporte dos passageiros dos paquetes vindos do sul para o Posto Marítimo de Desinfeção

e) Decidido manter o pagamento do serviço de angariação de passageiros dos paquetes para o sud-express e que o Eng.º Diretor trate do assunto da supressão das cotas dos wagons-lits numa próxima ida a Paris f) Comunicação do Eng.º Diretor de uma próxima ida a Paris

Ata n.º 138, de 1910-06-08 :

a) Analisado o acerto do pagamento pela Parceria no arrendamento das docas e oficinas e nas obras de ampliação efetuadas

b) Analisado o prazo de três anos de arrendamento que será possível conceder à Companhia do Cabo Telegráfico a instalar no barracão até agora utilizado pela Companhia das Messageries

c) Informação de a Vacuum Oil Company ir fazer um pedido à Administração para fazer um novo armazém d) Autorização à Parceria dos Vapores Lisbonenses para gratificar os empregados que transmitem os avisos telegráficos e outros d') Aprovado responder a Albin Rivière, quanto ao seu pedido de um terreno em Alcântara para depósito de gasolina, que o assunto irá ser estudado de modo a ter total segurança

e) Concedida autorização a Fernando Santos para trespasse do seu terreno à firma Grandes Armazéns Frigoríficos Lda. f) Decidido oficiar-se ao governo solicitando uma providência parlamentar para que passe a constituir receita da Exploração as taxas de tráfego de bagagens dos passageiros desembarcados no Posto de Desinfestação g) Decidido estudar o assunto sobre a queixa da Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses quanto às quantias pagas à Guarda fiscal pelo transporte de mercadorias à saída do entreposto de Santos serem superiores às de Santa Apolónia

Ata n.º 139, de 1910-06-15 :

a) Indeferido o pedido da Forlades, representante da Companhia Messageries Maritimes, para estabelecimento na margem esquerda, na Banática, de um depósito de carvão

b) Aprovada a construção de um armazém de ferro e tijolo entre o entreposto colonial e o Terreiro do Trigo para armazenagem de bacalhau

c) Aprovado com condições o pedido de José Domingos Barreiro para alargamento de um terreno em Marvila

Ata n.º 140, de 1910-06-22 :

a) Esclarecida a diferença de quantias pagas à Guarda Fiscal em Santos, onde o percurso é maior e a vigia noturna, ou em Santa Apolónia

b) Nomeada comissão, pela Associação Comercial, encarregada de dinamizar a descarga dos navios à sua consignação no molhe oeste da doca da Alfândega

c) Deliberada abertura de concurso público para a construção do novo armazém a leste do entreposto colonial d) Convite da Empresa Nacional de Navegação para visita ao seu novo vapor Lisboa

e) Recebida Portaria autorizando a entrega do troço de via férrea entre a Alfândega e o Cais da Areia à Companhia Real dos Caminhos de Ferro Portugueses

f) Recebida Portaria aprovando o projeto da Empresa Industrial Portuguesa para a obra de cobertura do enclave do cais de Santa Apolónia

g) Aprovado o pedido das Companhias Reunidas de Gás e Eletricidade para aumento da ponte na Junqueira h) Aprovado o pedido de autorização de Pina e Oliveira para construção de uma ponte de madeira no Beato i) Aprovada a Contabilidade do mês anterior

Ata n.º 141, de 1910-06-30 :

a) Decidido responder à Direção Geral de Tesouraria não ter a Exploração que entregar os saldos por irem ser aplicados nas obras da doca de Alcântara e do molhe de Santos

b) Entregue à Câmara de Lisboa a quantia devida relativa a metade da obra de modificação dos canos de esgoto que desembocam no Cais das Colunas

c) Aprovada uma redução de taxa de estacionamento de batata deteriorada no entreposto de Santos

Ata n.º 142, de 1910-07-06 :

a) Analisado o serviço de dragagem a propósito de se verificar a sua necessidade junto à ponte que serve a Alfândega b) Concedida licença à Vacuum Oil Company para armazenar gasolina em tanque junto ao seu armazém de Santo Amaro devendo ser tomadas as necessárias medidas de segurança

c) Conhecimento do ofício enviado à Direção Geral da tesouraria a propósito do saldo das receitas

d) Enviada à Contabilidade Pública a nota das receitas da Exploração de 7 de maio de 1907 a 30 de junho de 1098 e) Concedida autorização às Companhia Reunidas de Gas e Eletricidade para reabertura de vala conforme licença já concedida f) Depois de analisado detalhadamente o assunto da pretensão da Companhia Messageries Maritimes construir um depósito de carvão na margem sul, na Banática, foi decidido voltar a analisar o assunto

Ata n.º 143, de 1910-07-13 :

a) Adjudicada à Empresa Industrial Portuguesa a construção de um armazém junto à doca do Terreiro do Trigo b) Conhecimento da morte de um trabalhador em acidente no entreposto de Santos

c) Adiada a questão do depósito de carvão que a Companhia Messageries Maritimes pretende construir d) Analisada a questão da jurisdição do Cais das Colunas a propósito de um pedido de licença de atracação de vapor de carreira entre Lisboa e Cacilhas que foi adiado por falta de estudo do assunto

e) Concedida licença de férias ao Eng.º Adjunto

Ata n.º 144, de 1910-07-20 :

a) Indeferido o pedido de atracação no Cais das Colunas do vapor Popular no serviço de carreira Lisboa Cacilhas, devendo ser feito no Cais do Sodré exemplo de outras carreiras

b) Depoimento de Luis Strauss que, regressado de Inglaterra e França esclarecera com a Companhia Messageries Maritimes o facto de esta ter deixado de atracar os seus paquetes em Alcântara e deliberação de oficiar o Governo sobre o assunto dos depósitos na margem sul

c) Informação de não haver alterações à escala por Lisboa dos navios da Pacific Steam Navigation Company que passou a ser administrada pela Royal Mail Steam Navigation Company

d) Decidido o aumento da remuneração do serviço do agente que facilita aos passageiros vindos em paquetes da América do Sul a viagem pelo Sud-Express

e) Informação do Eng.º Diretor acerca do conhecimento adquirido no Port of London Authority dos depósitos de petróleo, gasolina e outra substâncias inflamáveis

f) Louvor ao Eng.º Diretor pela suas diligências em prol do Porto de Lisboa no seu gozo de licença no estrangeiro

Ata n.º 145, de 1910-07-27 :

a) Decidido manter a deliberação anterior negar à Empresa Fluvial de Cacilhas autorização para utilização do Cais das Colunas para embarque e desembarque de passageiros

b) Envio à Contabilidade das contas da Administração do ano anterior aguardando-se a legalização do excesso orçamentado